O papel da EaD na democratização do Ensino Superior

O crescimento da educação a distância (EaD) nos últimos anos mostrou que ela veio para ficar.  Os dados mais atualizados do Censo da Educação Superior 2022 impressionam: foram 3,1 milhões de novos ingressantes na EaD, praticamente o dobro daqueles que optam pelo presencial.

E não é difícil entender o porquê desse aumento. Afinal, ao oferecer alternativas às limitações geográficas e temporais do formato presencial, a educação a distância permite que milhões de brasileiros realizem o sonho de cursar uma graduação superior.

Neste post, o blog da DreamShaper fala sobre o papel da educação a distância na democratização do acesso à universidade.

Quando a IES vai até o aluno

Um dos fatores que explicam a popularidade da EaD é a flexibilidade. Basta ter um dispositivo eletrônico conectado à internet para acessar conteúdos didáticos em ambientes virtuais de aprendizagem e interagir com professores e colegas de qualquer lugar do Brasil e até do mundo.

Essa possibilidade beneficia especialmente aqueles estudantes que vivem longe dos grandes centros, onde se localiza a maioria das Instituições de Ensino Superior  (IES). 

Quem tem recursos acaba mudando de cidade, mas esse é um privilégio de poucos. Boa parte dos brasileiros precisa fazer um esforço enorme para estudar.

Segundo a pesquisa Regiões de Influência das Cidades, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os universitários que frequentam uma IES fora de seus municípios de origem viajam, em média, 92 quilômetros para ter aulas.

Além da perda de tempo e do desgaste físico, esses deslocamentos significam altos custos com transporte. Por consequência, muitos desistem de seus sonhos e não concluem a graduação, perdendo, assim, melhores oportunidades na carreira.

Graças às facilidades da educação a distância, o cenário vem se transformando. Hoje, diversos municípios de pequeno e médio porte contam com polos EaD, que viabilizam o acesso a pessoas que não podem ou não querem se deslocar para outras regiões.

Em 2022, a modalidade chegou a 3.219 municípios brasileiros, um aumento de 87% quando comparado a 2014, segundo o Censo da Educação Superior.

Estudante EAD

Outras vantagens

Eliminar distâncias talvez seja a principal forma de a EaD ajudar na democratização do Ensino Superior, mas não a única. Em geral, ela oferece opções de custo mais baixo em comparação com o ensino presencial. 

Ao reduzir despesas associadas a moradia, transporte e materiais didáticos físicos, a educação a distância facilita o acesso para estudantes de diversas origens socioeconômicas. Dessa forma, também ajuda a construir um ambiente acadêmico mais diverso e igualitário.

Além disso, dados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2022 apontam que 67% dos alunos matriculados em um curso superior EaD trabalham 40 horas ou mais por semana.

Como permite que os próprios alunos estabeleçam seu tempo para fazer as aulas, o formato se mostra a melhor alternativa para quem precisa conciliar os estudos com diferentes atividades.

Experiência EaD

Evidentemente, a democratização do ingresso na universidade não é isenta de desafios. Há uma abundante oferta de graduações a distância, mas nem todas conseguem conciliar tecnologia de ponta, qualidade de ensino e suporte ao aluno com sucesso.

Nesse sentido,  a DreamShaper é a melhor opção para ajudar sua IES a oferecer uma experiência de aprendizagem EaD relevante para os alunos.

Nossas metodologias ativas estimulam o desenvolvimento de competências essenciais para o sucesso dos universitários do século XXI, fazendo com que eles se tornem protagonistas do seu próprio aprendizado. 

Sobre a DreamShaper

A DreamShaper é uma edtech especializada em Aprendizagem Ativa que atua em 22 países e já promoveu o protagonismo de mais de 1 milhão de alunos por meio de experiências pedagógicas inovadoras e soluções de aprendizagem baseadas em projetos para instituições de Ensino Superior. Agende uma conversa e saiba mais!

 

Facebook
Twitter
LinkedIn
COMENTARIOS