Ensino superior: novos cursos ganham destaque em um mundo cada vez mais conectado

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

A constante transformação do mercado de trabalho faz com que as profissões passem por mudanças rapidamente.

Alguns cargos que existiam há dez anos não existem mais, ao mesmo tempo em que novos surgem e se consolidam.

Esse fenômeno gera um impacto direto na área da educação. Segundo uma pesquisa realizada pela Ey-Pathenon, o ensino superior deve chegar em 2030 com grandes modificações, e várias instituições poderão deixar de existir.

Para reduzir os impactos causados por essas mudanças, as instituições de ensino precisam responder às demandas do mercado e inovar. Novas tecnologias, formatos e metodologias já fazem parte da rotina de muitas faculdades e escolas. 

Entretanto, essas não são as únicas mudanças que deveremos ver na educação superior. Ao longo dos últimos anos, universidades ao redor do mundo passaram a oferecer cursos e formações diretamente ligados às necessidades do mercado.  

Esse movimento, que já começa a aparecer no Brasil, inclui graduações em diferentes áreas que devem se somar ao portfólio de formações já tradicional das universidades.  Entram nessa lista de “figurinhas carimbadas” os cursos com maior procura no Sistema de Seleção Unificada (SiSU), como Administração, Direito, Pedagogia, Medicina e Educação Física. 

Um olhar para o futuro

Conheça a seguir alguns cursos que são mais recentes nas universidades brasileiras e como eles se adéquam às novas dinâmicas sociais. 

Engenharia de Energias Renováveis

A transição energética foi uma das principais pautas da COP27, a Conferência do Clima da ONU realizada em novembro de 2022. Na ocasião, o Brasil se apresentou como um dos líderes mundiais no que se refere ao uso de energias limpas.

Essa conjuntura internacional aumentará a demanda de profissionais que atuem na área e gerenciem novos projetos. 

Como consequência, algumas universidades estão apostando na graduação em Engenharia de Energias Renováveis. É o caso da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Ciências Socioambientais

Seguindo na pauta de meio ambiente, mas dessa vez na área de humanidades, o curso de Ciências Socioambientais surge como uma possibilidade.

Essa graduação tem como objetivo formar profissionais e pesquisadores que sejam capazes de refletir sobre a interação entre a natureza e a sociedade. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) foi a precursora no Brasil, com a criação do curso em 2010.

educacao futuro dreamshaperEngenharia Biomédica

Na área da saúde, a Engenharia Biomédica se destaca como um curso que busca mesclar tecnologias para encontrar soluções médicas e biológicas. Para isso, a graduação trabalha conceitos de eletrônica, mecânica, física, química, biomateriais, anatomia e fisiologia.

Considerada uma das profissões do futuro, essa área da engenharia é essencial para garantir o funcionamento de equipamentos em hospitais e teve um papel importante durante a pandemia.

Ciência de Dados

Em meio a uma sociedade que tenta lidar com os efeitos da desinformação e da pós-verdade, números e dados estatísticos ganham cada vez mais importância em diferentes áreas profissionais. 

É por isso que a graduação em Ciência de Dados se destaca nas instituições. Esse curso visa formar profissionais para gerenciar bases de dados, extrair insights a partir de números, construir sistemas inteligentes, entre outras inúmeras funções.

Jogos Digitais

Essa graduação tem foco na formação de profissionais que atuem no desenvolvimento de produtos para a indústria do entretenimento, mais especificamente videogames. Segundo a Pesquisa Game Brasil, três em cada quatro brasileiros consomem jogos eletrônicos.

No entanto, o curso de Jogos Digitais pode ganhar novas possibilidades nos próximos anos. A tendência é que outras áreas passem a buscar pessoas com experiência no desenvolvimento de ambientes tridimensionais ou de imersão para a criação de simuladores ou outros recursos que possam ser utilizados no metaverso.

A graduação já está presente em grandes instituições privadas, como Unisinos e PUC-SP.

Vale ressaltar que outras atividades ligadas ao mundo da tecnologia não exigem uma formação específica. Entretanto, esses temas podem ter seus conteúdos absorvidos por cursos já existentes.

É o caso do desenvolvimento de apps, temática presente em currículos de graduações como Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Tecnologia da Informação e Desenvolvimento de Sistemas.

Sobre a DreamShaper

A DreamShaper é uma EdTech especializada em Aprendizagem Baseada em Projeto que apoia Instituições de Ensino em mais de 20 países na implementação de metodologias ativas, por meio da sistematização do trabalho com projetos de forma inovadora e eficiente.

COMENTARIOS